Quinta-feira, 30 de Março de 2006

Tique e Toque

Meu estimado Quase:
É provável que me repita de vez em quando.
Quando os factores da alergia irritadiça se repetem,
então é normal que volte ao assunto.
Pergunto:
Porque é que o pivot da informação, jornalista credível
altamente qualificado, responsável e da nossa confiança,
José Rodrigues dos Santos, pisca o olho no final do telejornal?
Digam-me, ajudem-me, expliquem-me.
Porquê?
O que é isso tem a ver com informação?
Entretenimento?
Ele tem o seu público?
Cumplicidades privadas?
Eu e vocês ???
Daaaaaa....
Não entendo.
Isto até nem é assunto!
E se calhar arrisco-me Ó:
Este gajo não tem nada para fazer...
Mas, ele há coisas que me eriçam.
É mais toque do que tique.
Pronto!
Já passou.
Desabafo apenas.
É legítimo:


Caro leitor
Precisamos de um provedor para o País.

Não de um lápis censório,

Pisquemos os olhos, meus irmãos.
E tu Quase, não me irrites, com essa tua azelhice altaneira.
Tens a mania.
publicado por João Gil às 23:00
link do post | favorito
Quarta-feira, 29 de Março de 2006

Proteina emotiva







Estimado:

Sempre que vou a uma casa de fados
venho de lá um pouco confuso.
Sempre dividido, estranhando e entranhado,
fico a pensar num amontoado e difuso sentimento.
As palavras por vezes bacocas de um mundo à parte,
num envolvimento musical extraordinariamente
rico em proteínas emocionais.

Fui ouvir uma cantora que veio de Angola,
Ana Maria de sua graça, carregando na voz
uma história de vida digna de seu nome.
O fado é incrível, cheio de pessoas incríveis,
que o testemunham e transportam.
É preciso meter as mãos para sentir aquele motor,
e sujar a mente de óleos velhos e gastos.
Deixem-se de merdas, os que o julgam erradamente.
As mentes equivocadas cagam sentenças anunciando
a sua constante morte.

Qualquer dia levo-te aos fados querido amigo.
Tens de ir.
Vais compreender.
É importante compreender a sua razão.
Fecha os teus olhos e... ouve


Mais ou menos como ir à catedral e desfocar na luz da luz...
publicado por João Gil às 01:02
link do post | favorito
Domingo, 26 de Março de 2006

Um novo clube






Meu Querido Amigo,
Há tempos que ando para te falar disto:

Hoje passei a ponte a correr.
Muita gente e ainda bem.
Ando aqui com umas ideias
que não te cheguei a contar:
Qual o efeito da iniciação à prática
de atletismo pelas crianças na pré e pós adolescência?
Convenci-me que o atletismo pode ser muito importante
no bom desempenho físico e intelectual de uma pessoa.
A aprendizagem e o conhecimento do nosso próprio corpo na idade própria, fabrica um ser livre e completo
no seu estado adulto.
Conheces as crianças mais pobres do bairro de campolide?
Diz-lhes que se inscrevam, anda lá!
Vamos ter um treinador, equipamentos, um medico,
um seguro, um autocarro, um clube!
Sempre a seguir à escola como é evidente.


O que queres?
Acredito e luto.
Absolutamente mais nada.
Peço-te apenas que não me julgues.
Não tires conclusões.
Não pretendo dividendos.
Nada.

A ponte ficou deserta....
publicado por João Gil às 22:34
link do post | favorito
Quinta-feira, 23 de Março de 2006

O dia do puto

Olha Quase
Antes que venha o dia da criança, deixo-te aqui o dia do puto

24 de Março






Ouve
Estica o braço
Sentes a chuva?
Guarda-a
Toma este lápis
Risca sempre
Fora do desenho
Se quiseres claro
Toma as tintas
Suja-te
Pinta-te
Calça estes sapatos
Corre contra o vento
Se te apetecer
A favor também é bom
De quando em vez
Lembra-te
Não tens culpa
Sabes uma coisa?
Desculpa
publicado por João Gil às 22:21
link do post | favorito
Quarta-feira, 22 de Março de 2006

The day after poetry day

My Dear Friend:


Change


Change is everywhere,
All around us.
If you do not notice any change,
You are not changing.
If you do not notice any change,
Have you seen,
The ocean,
The skies, Change


Change is everywhere,
All around us.
If you do not notice any change,
You are not changing.
If you do not notice any change,
Have you seen,
The ocean,
The skies,
The seas,
The land?
If you do not notice any change,
You, alone, will never change.

Kelland Chew




A venda de poesia do dia seguinte tem riscos ainda por descobrir.
A poesia deve ser desejada.
A poesia oral tem riscos menores.
Consulte um especialista.


Flor Garduno
publicado por João Gil às 10:26
link do post | favorito
Terça-feira, 21 de Março de 2006

Get yourself a gun




A velocidade sempre me fascinou.
Ou melhor, aprecio a representação da velocidade.
É mais isso.
Sem o espírito tunning que merecia,
até entendo o orgasmo da coisa,
Mas não.
Não é o caso.

Refiro-me à vida que vai passando a olhos vistos,
ainda agora estava ali...
Lembro-me sempre do genérico dos Sopranos:
Get yourself a gun...
É tudo muito depressa.
O dia é manifestamente pequeno.
O planeta também e Portugal nem se fala.
Vou acalmar os instintos, voltar devagar.
Chego e o assunto divide-se em dois aspectos:
A situação complexa do Sporting,
e o conhecimento do desconhecimento
de Durão Barroso sobre o pretexto da invasão ao Iraque.
Enganaram-se....
E agora apetece-me à brava enganar-me até porque
tão pouco se discute acerca das verdadeiras razões.
Vou pensar que Durão Barroso pelo apoio dado, recebeu de prenda o cargo que ocupa, afastando-se da crise e dos problemas que Insuflavam dia a dia em Portugal.
Se estiver enganado, OH! Direi que me baseei em dados que estavam errados!


O que achas disto tudo querido amigo?
publicado por João Gil às 11:16
link do post | favorito
Segunda-feira, 20 de Março de 2006

Musica e Paz



Meu Querido Amigo

Escrevo-te já na minha terra.
Voltei numa porcaria de um avião
onde o espaço disponível, está indisponível
pela falta de espaço.
Que fazer das pernas numa viagem de 11 horas?
A companhia Air France, viabiliza-se pelas suas poupanças,
poupando no espaço da viatura.
Mas isso não interessa.





Valeu muito a pena ter ido,
Encontrámos um Maestro e uma Orquestra exemplar.
Estes séculos passados em Macau,
Teriam na comunicação e no diálogo a velha questão de sempre.
É possível comunicar e encontrar um entendimento único e próprio.
Sabemos da utilidade do futebol, tal como os signos do zodíaco,
para iniciar uma bela conversa.

A Música é a Paz.
O diálogo torna-se sensitivo, subtil e sincero.
O produto final adquire uma nova nacionalidade.

A paz.
publicado por João Gil às 15:06
link do post | favorito
Quinta-feira, 16 de Março de 2006

O brio









Grande Quase
Como é que isso vai?
Já passaram aquelas mazelas?
Há coisas que a idade não perdoa tio...
Eheheh

Por aqui a coisa está do melhor,
A orquestra tem um maestro prestigiado
e arrojado.
Os músicos são bem comportados,
E não como alguns dos seus colegas de Portugal,
agrilhoados por fantasmas de funcionalismo-público,
de comportamentos de putos por infância não tida.

Encontro brio por estas paragens,
Uma outra maneira.

Comunicamos.
Cruzamos a informação.
Tem sido bom.
Aceita o meu abraço.
publicado por João Gil às 02:31
link do post | favorito
Terça-feira, 14 de Março de 2006

Luar de macau







publicado por João Gil às 04:45
link do post | favorito
Segunda-feira, 13 de Março de 2006

Transito




publicado por João Gil às 05:45
link do post | favorito

mais sobre mim

Playlist da semana

Windows Media Player:
Listen to My Radio on MediaMaster.com ITunes:
Listen to My Radio on MediaMaster.com

arquivos

Setembro 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

subscrever feeds